Translate Plugin made by Free Rider 2

telefonia móvel

Frases e citações interessantes sobre telefone

Sutil e com estilo

O sujeito então entra numa dessas lojas de telefonia móvel.
É prontamente atendido pela vendedora:

– Olá, tudo bem? Em que posso ser útil?
– Oi… tudo bem. Eu queria um telefone.
– Ah, claro! Pois não… Procura um específico? Já tem algum em mente?
– Sim, o seu.
(…)


“O telefone é uma boa maneira de conversar com alguém sem ter de oferecer-lhe um drinque.”

Fran Lebowitz

“Feche a porta do seu quarto
Porque se toca o telefone pode ser alguém
Com quem você quer falar
Por horas e horas e horas.”

Renato Russo

“Estou com saudade de mim. Ando pouco recolhida, atendendo demais ao telefone, escrevo depressa, vivo depressa. Onde está eu?”

Clarice Lispector

“Pardal no fio, ouve o telefone, mas não dá um pio”

Carlos Seabra

“Foram então aprender que, não se estando distraído, o telefone não toca, e é preciso sair de casa para que a carta chegue, e quando o telefone finalmente toca, o deserto da espera já cortou os fios.”

Clarice Lispector

“Com 20 anos, seu telefone toca e você da um salto duplo carpado. Com 30 você ignora porque finalmente você achou uma posição boa no sofá!!!”

Não sei o autor, mas complementaria dizendo que depois dos 60 anos você nem escuta o telefone ;-) )

“Ninguém ligou, ninguém vai ligar. O visor do telefone não acusa uma mensagem perdida. E-mail, sinal de fumaça, uma chamada não-atendida. A tela da tv não parece uma saída. Eu vivo um refrão antigo, feito às pressas, plágio de uma bela melodia. Eu vivo um sonho toda noite, eu vivo a noite todo dia. O que eu não pude prever, o que eu não queria. E quando eu ver tv, vou ter sempre uma chance de lembrar.”

Esteban

“Triste é se conformar com o telefone mudo. É esperar a campainha sofridamente mesmo sabendo que quem você quer ver não tem seu endereço.”

Verônica H.

Triimm…

Breve silêncio…O telefone toca,

Ansiedade volta.

Francismar Prestes Leal

“Telefone não toca. Dói. Mas é Deus que me poupa!”

C. Lispector

“E eu olho para o telefone,

Ele ainda não ligou

E você se sente tão fraca, que não consegue sentir mais nada

E você relembra quando nós dissemos’

‘Pra sempre e sempre’”

‘Taylor Swift.

“O telefone dá-nos a felicidade de estarmos juntos,com a segurança de estarmos separados”

Mason Coley

“Como sonhar com um mundo sem violência, se até pelo telefone podemos enviar torpedos?”

Demétrio Sena – Magé – RJ.

“Quem sabe o telefone possa até tocar, mas já não espero.”

Kléber Novartes

“Você sabe me fazer bem ao estar ao seu lado. E mesmo pelo telefone ouvir sua voz e saber do que se passa em você. Me faz sentir alguém tão importante , pelas suas palavras seu sorriso e seu jeito. É dificil não negar que você faz minha vida mais feliz.”

Mirela Cristina Sanchez

“Acordo com o telefone tocando. Desculpe, foi engano. Não faz mal, hoje eu também não estou em casa.”

Elisah

Seria o começo da queda dos serviços SMS?

SMS foi o “killer app” original para o mercado de telefonia celular.  Em termos dos volumes envolvidos e as receitas geradas, é indiscutivelmente algo que nunca foi superado. De acordo com a ITU, assombrosos 6.100.000.000.000 de SMS foram enviados globalmente no ano passado, um número que triplicou desde 2007.  Assumindo um custo médio de U$ 0,07 por mensagem, o ITU calcula que o tráfego de SMS gerou cerca de U$ 14.000 a cada segundo para operadores em 2010. Nada mau para um serviço que foi originalmente concebido apenas para o envio de notificações de rede para os cartões SIM.

Mas estaria a “Cash Cow” do SMS prestes a ser mandada para o pasto?  Isto parece ser a conclusão extraída dos dados recentes dos mercados mais maduros de telefonia móvel, que mostram que os volumes de SMS começaram a cair com os usuários mudando para outros serviços de terceiros, tais como mensagens WhatsApp, BlackBerry Messenger e Skype.

Tais serviços ganharam força com o aumento da penetração dos smartphone.  Muitos, até à pouco, foram por efeito de boca a boca, mas o recente lançamento de serviços similares por empresas como a Apple e Facebook pode significar que seu impacto poderá em breve ser enorme, colocando o volume dos SMS das operadoras e as receitas em sério risco.

Nossos amigos trituradores de números da “Wireless Intelligence” analisaram recentemente um mercado onde este fenômeno já é visível: Holanda.  Segundo dados recentes da Opta, o regulador holandês, o número total de SMS enviados no país caiu para 5,7 bilhões nos primeiros seis meses do ano, uma queda de 2,5 por cento – ou 200 milhões de mensagens – a partir dos 5,9 bilhões registrados na segunda metade de 2010.  A receita de serviços de SMS ainda até avançou ligeiramente (0,6 por cento), mas os números foram o suficiente para começar a soar o alarme dos operadores do país.

O menor uso de SMS foi citado como um fator chave por trás de um declínio de 11 por cento nas receitas de serviços móveis da líder de mercado, a KPN. De acordo com estimativas da “Wireless Intelligence”, o número médio de SMS enviados por usuário na KPN caiu para 32 no trimestre, ante 49 no ano anterior.

A resposta inicial da KPN foi a idéia de cobrar por serviços de mensagens OTT (Over the Top).  Mas isto alarmou os que defendem a neutralidade da rede e só serviu para apressar a introdução de leis de neutralidade da rede no país o que colocou a Holanda como o primeiro país europeu a aprovar uma legislação com tal objetivo.

A estratégia subseqüente do operador envolveu uma revisão radical de suas tarifas, visando a prender seus clientes a contratos de maior valor que (na opinião do operador) melhor reflete a quantidade de dados que está sendo consumido. A KPN disse que haviam migrado 35 por cento dos assinantes direcionados para esses novos contratos em Q3, o que sugere que esta estratégia está tendo algum sucesso inicial.

Monetizar dados móveis é, portanto, fundamental para compensar o declínio no uso de SMS.  Mas isso pode ser um assunto delicado para resolver já que os operadores freqüentemente combinam SMS e não-SMS como receitas “não-voz”, numa tentativa de mostrar como efetivamente eles estão migrando dos legados serviços de voz.

No mundo em desenvolvimento, ainda o SMS (geralmente) é responsável pela grande maioria das receitas “não-voz”, mas isso não mais o caso em mercados maduros como a Holanda. Os números da Opta mostram que as receitas de dados “não-SMS” no país no primeiro semestre do ano cresceu 16 por cento em relação ao período anterior, para EUR405 milhões, ultrapassando (pela primeira vez) a receita total de SMS de EUR378 milhões.

Estas tendências estão sendo vistos em muitos mercados da Europa Ocidental. O “Wireless Intelligence” detectou quedas similares em volumes SMS este ano em mercados como França, Irlanda, Espanha e Portugal. E quando os volumes de queda, a receita em breve vão seguir o mesmo caminho.Assim como a KPN, os operadores nesses mercados terão que abordar esta questão mais cedo ou ter o risco de ver outra fonte de renda perdida para os outros players de mensagens OTT (Over the Top).

Tradução do artigo de autoria de Matt Ablott publicado na http://www.mobilebusinessbriefing.com

Os pontos de vista editorial expressos neste artigo são da exclusiva responsabilidade do autor (s) e não refletem necessariamente a posição da GSMA, os seus membros ou membros associados

Outra tirinha do Dilbert

Mulher no telefone

Um telefone toca num fim de tarde, começo de noite . . .

* Alô?
* Pronto.
Ele: – Voz estranha… Gripada?
Ela: – Faringite.
Ele: – Deve ser o sereno. No mínimo tá saindo todas as noites pra badalar.
Ela: – E se estivesse? Algum problema?
Ele: – Não, imagina! Agora, você é uma mulher livre.
Ela: – E você? Sua voz também está diferente. Faringite?
Ele: – Constipado.
Ela: – Constipado? Você nunca usou esta palavra na vida.
Ele: – A gente aprende.
Ela: – Tá vendo? A separação serviu para alguma coisa.
Ele: – Viver sozinho é bom. A gente cresce.
Ela: – Você sempre viveu sozinho. Até quando casado só fez o que quis.
Ele: – Maldade sua, pois deixei de lado várias coisas quando a gente se casou.
Ela: – Evidente! Só faltava você continuar rebolando nas discotecas com as amigas.
Ele: – Já você não abriu mão de nada. Não deixou de ver novela, passear no shopping,
comprar jóias, conversar ao telefone com as amigas durante horas.

. . . Silêncio . . .

Ela: – Comprar jóias? De onde você tirou essa idéia? A única coisa que comprei
em quinze anos de casamento foi um par de brincos.
Ele: – Quinze anos? Pensei que fosse bem menos.
Ela: – A memória dos homens é um caso de polícia!
Ele: – Mas conversar com as amigas no telefone …
Ela: – Solidão, meu caro, cansaço … Trabalhar fora, cuidar das crianças e ainda
preparar o jantar para o HERÓI que chega à noite… Convenhamos, não chega a
ser uma roda-gigante de emoções …
Ele: – Você nunca reclamou disso.
Ela: – E você me perguntou alguma vez?
Ele: – Lá vem você de novo… As poucas coisas que eu achava que estavam certas…
Isso também era errado!?
Ela: – Evidente, a gente não conversava nunca …
Ele: – Faltou diálogo, é isso? Na hora, ninguém fala nada. Aparece um impasse e
as mulheres não reclamam. Depois, dizem que Faltou diálogo.
As mulheres são de Marte !
Ela: – E vocês são de Saturno!

. . . Silêncio . . .

Ele: – E aí, como vai a vida?
Ela: – Nunca estive tão bem. Livre para pensar, ninguém pra Me dizer o que devo fazer …
Ele: – E isso é bom?
Ela: – Pense o que quiser, mas quinze anos de jornada são de enlouquecer qualquer uma.
Ele: – Eu nunca fui autoritário!
Ela: – Também nunca foi compreensivo!
Ele: – Jamais dei a entender que era perfeito. Tenho minhas limitações como qualquer
mortal …
Ela: – Limitado e omisso como qualquer mortal.
Ele: – Você nunca foi irônica.
Ela: – Isso a gente aprende também.
Ele: – Eu sempre te apoiei.
Ela: – Lógico. Se não me engano foi no segundo mês de casamento que você lavou a
única louça da tua vida. Um apoio inestimável … Sinceramente, eu não sei o
que faria sem você? Ou você acha que fazer vinte caipirinhas numa tarde para um
bando de marmanjos que assistem ao jogo da Copa do Mundo era realmente
o meu grande objetivo na vida ?
Ele: – Do que você está falando?
Ela: – Ah, não lembra?
Ele: – Ana, eu detesto futebol.
Ela: – Ana!? Esqueceu meu nome também? Alexandre, você ficou louco?
Ele: – Alexandre? Meu nome é Ronaldo!

. . . Silêncio . . .

Ele: – De onde está falando?
Ela: – 2578 9922
Ele: – Não é o 2578 9222?
Ela: – Não.
Ele: – Ah, desculpe, foi engano.

Depois de um tempo ambos caem na gargalhada.

Ele: Quer dizer que você faz uma ótima caipirinha, hein?
Ela: – Modéstia à parte… Mas não gosto, prefiro vinho tinto.
Ele: – Mesmo? Vinho é a minha bebida preferida!
Ela: – E detesta futebol?
Ele: – Deus me livre… 22 caras correndo atrás de uma bola… Acho ridículo!
Ela: – Bem, você me dá licença, mas eu vou preparar o jantar.
Ele: – Que pena… O meu já está pronto. Risoto, minha especialidade!
Ela: – Mentira! É o meu prato predileto…
Ele: – Mesmo! Bem, a porção dá pra dois, e estou abrindo um Chianti também.
Você não gostaria de…
Ela: – Adoraria!

Ele dá o endereço.

… CUIDADO COM AS LINHAS CRUZADAS …

Luís Fernando Veríssimo

 

Market Share de Banda Larga Móvel no Brasil – Outubro de 2011

Em um mês marcado pelo recorde de novas habilitações, o crescimento da banda larga móvel no Brasil também foi expressivo, 9,07% e totalizando mais de trinta e sete milhões de acessos.
Com crescimento de 13,84% em relação ao mês anterior, a Claro supera a marca de 40% do market share, consolidando cada vez mais sua liderança no segmento do mobile broadband brasileiro.
Embora registrem adições líquidas significativas, com destaque para a Vivo com 7,81% de crescimento em relação ao mês anterior, as outras prestadoras perderam participação de mercado, pois seria necessário registrar crescimento de mais de 9,07% para ganha-lo.

Confiram os resultados nos gráficos abaixo.

 

 

 

 

 

 

 

 

Considerações:

1)      Os dados mostrados nos gráficos foram colhidos do sistema interativo de controle do número de estações móveis da ANATEL (SMP) que é aberto ao público;
2)      Foram considerados os acessos com capacidade de transmissão de dados em banda larga móvel, a saber, os modems de dados e os terminais UMTS (WCDMA) com suas evoluções presentes no mercado nacional (HSPA, HSDPA, HSUPA). Os terminais GSM com GPRS ou EDGE sem as funcionalidades do 3G não estão sendo considerados na presente análise;
3)      Mais informações em www.anatel.gov.br. Consultar a aba “ANATEL DADOS” no canto superior direito

Android atinge 200 milhões de ativações

O Google compartilhou algumas estatísticas interessantes sobre sua plataforma Android durante a coletiva de imprensa Google Music, em Los Angeles (Califórnia, Estados Unidos), na quarta-feira (16/11). Mais de 200 milhões de smartphones Android e outros dispositivos foram ativados ao redor do mundo. Isso ultrapassa os cem milhões de seis meses atrás. É um montante incrível de crescimento para uma plataforma que não existia há três anos.

O crescimento foi às custas do encolhimento das plataformas como os sistemas operacionais BlackBerry, da RIM, ou o Symbian, da Nokia. Sua presença no mercado diminuiu desde que o Android (e o iPhone) chegou ao mercado.

Apesar do crescimento ser sem dúvida expressivo, há ainda algo mais interessante por trás.

Na quarta-feira, a empresa afirmou que está ativando uma taxa de 550 mil aparelhos Android por dia. Isso é ótimo, mas é a mesma taxa que o Google declarou em julho. O que está acontecendo? O crescimento meteórico as plataforma de repente parou?

O Google iniciou a compartilhar as ativações diárias de seus números em janeiro de 2010, quando lançou o Nexus One. Naquela época, a empresa afirmou ativar cerca de 60 mil aparelhos Android por dia. Esse número aumentou para cem mil por dia, depois para 150 mil, 200 mil, 250 mil por dia, etc. A primeira vez em que falaram sobre 550 mil ativações diárias foi em julho. Tirando a base de crescimento dos últimos 22 meses e projetando de julho a dezembro, as contas deveriam chegar a um milhão antes do final do ano.

Em vez disso, a taxa de crescimento se estabilizou.

Isso é um problema? Não. A taxa de crescimento do sistema operacional móvel da gigante de buscas dos últimos dois anos seria insustentável por muito tempo. Teria que atingir o topo eventualmente, e aparentemente esse dia chegou.

Outra coisa que é necessário analisar é se a taxa de aumento do mercado de smartphones em geral caiu no mesmo período. Segundo os últimos números da Gartner, as vendas aumentaram 42% – 115 milhões de unidades – no terceiro trimestre com 60 milhões desses aparelhos executando o Android. São números significativos, mas abaixo das projeções.

Por último, as ativações diárias da plataforma ainda são melhores do que qualquer outra plataforma. O iOS, por exemplo, tem cerca de 210 mil ativações diárias. A taxa de crescimento pode ter desacelerado, mas com mais do que o dobre de ativações diárias do segundo colocado, a plataforma continuará no topo por um bom tempo.

 

CPI da Telefonia Móvel disponibiliza 0800 para receber denúncias

Se você não esta satisfeito, conheça os serviços da wor(l)d communicate

wor(l)d communicate

Os consumidores agora contam com o telefone gratuito 0800 281 22 80 para denunciar os maus serviços prestados pelas empresas de telefonia móvel em Pernambuco. O atendimento será realizado das 8h às 17h. A disponibilização do número foi anunciada pela Comissão Parlamentar de Inquérito da Telefonia Móvel na reunião desta quarta-feira (23). As denúncias formais do consumidor irão subsidiar a ação dos órgãos de defesa do consumidor no combate ao mau serviço prestado no estado.

Durante a reunião também foi registrado, a insuficiência das informações remetidas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) solicitadas via oficio pela CPI. “Das seis informações solicitadas apenas dois itens foram respondidos e de forma incompleta”, segundo o presidente da comissão, deputado estadual Betinho Gomes. Na próxima reunião (30), os representantes da Anatel serão convocados a prestar esclarecimentos.

Aproveitando o chamado da comissão, o coordenador do Procon estadual, José Rangel, apresentou o ranking de reclamações das operadoras ao longo do ano. A operadora Claro é a líder em reclamações com 1201 reclamações, seguida pela TIM Nordeste, que possui 787 queixas. Na 3ª colocação está a Oi, com 752 denúncias e, por último, vem a Vivo, com 236 queixas.

Parceiro de vida

 

“Eu não quereria como parceiro de vida quem não pudesse querer como amigo. E amigos fazem parte de meus alicerces emocionais: são um dos ganhos que a passagem do tempo me concedeu.


Falo daquela pessoa para quem posso telefonar não importa onde ela esteja, nem a hora do dia ou da madrugada, e dizer: ‘Estou mal, preciso de você’.

E ele ou ela estará comigo, pegando um carro, um avião, correndo alguns quarteirões a pé, ou simplesmente ficando ao telefone o tempo necessário para que eu me recupere, me reencontre, me reaprume, não me mate, seja lá o que for.”

- Lya Luft.

 

O futuro das comunicações móveis

Smartphones

Os smartphones de hoje são tanto um computador como um dispositivo de comunicação. Com uma interface multi-touch e um rápido CPU, eles contêm câmeras, GPS e bússolas. Além disso, permitem calcular e se comunicar a qualquer hora, em qualquer lugar.

Smartphone (Foto: Divulgação)
Smartphone (Foto: Divulgação)

No futuro, eles evoluirão para o que chamaremos de computadores pessoais móveis (PMC). E supondo que Rick Chin esteja certo, as CPUs móveis vão ter uma super velocidade. Assim, o PMC e os periféricos pessoais se tornarão a interface de qualquer pessoa para qualquer outro computador que você interagir.

3G e 4G Wireless Broadband

Microcell 3G da AT & T (Foto: Divulgação)Microcell 3G da AT & T (Foto: Divulgação)

“Quantas barras de sinal eu tenho?”.

Frequentemente, nós verificamos a força do sinal do smartphone enquanto estamos navegando na internet ou no nosso e-mail. Os 3G de hoje e as redes 4G fornecem conexões que são aceitáveis, mas que muitas vezes são interrompidas e isso precisa mudar.

No futuro, a implantação de torres de celular deixará de ser cara e demorada, para ser mais rápida e orgânica. Os provedores de redes sem fio vão debitar mensalmente créditos para se ter dispositivos como o Microcell 3G da AT & T em casa. E com uma quantidade suficiente destes dispositivos, a conexão das redes sem fio se tornará sólida, mesmo em bairros e vilas remotas.

Assim, no futuro, os computadores móveis pessoais (PMCs) não vão precisar de indicadores de intensidade de sinal, porque o acesso sem fio ao 3G e 4G será sólido, rápido e penetrante, além de ultra-rápido.

 

Brasil fecha outubro com 231 milhões de acessos móveis

Reuters. Por Sérgio Spagnuolo

O Brasil encerrou outubro com 231,6 milhões de acessos móveis, informou nesta sexta-feira a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

No acumulado do ano, a base móvel já soma cerca de 28,7 milhões de novas linhas, ante 20,5 milhões de janeiro a outubro do ano passado, mostrando forte aceleração no crescimento da telefonia móvel no país -mais de 40 por cento na comparação anual.

Somente em outubro deste ano, foram realizadas quase 4,3 milhões de novas habilitações. Este foi o quarto mês em número de habilitações, perdendo apenas para os meses de dezembro de 2010 (5,4 milhões), de 2007 (4,7 milhões) e de 2005 (4,4 milhões), de acordo com a Anatel.

Entre as companhias, o destaque foi da Vivo, que adicionou mais de 1,5 milhão de novas linhas ao mercado. O número de adições elevou seu market share de 29,49 por cento em setembro para 29,61 por cento no mês passado.

Já TIM acrescentou cerca de 1 milhão de novas linhas e ampliou sua distância frente à Claro, apesar de leve queda em sua participação de mercado, de 26,04 por cento para 26 por cento.

A Claro acrescentou mais de 800 mil novos acessos e encerrou o mês com market share de 25,20 por cento em outubro -ante 25,30 por cento no mês anterior.

A Oi, por sua vez, encerrou outubro com participação de 18,86 por cento, também crescendo em cerca de 800 mil acessos